Índice

Para mais conteúdos como este, cadastre-se para receber nossa newsletter.

Quero receber

Compartilhe

No primeiro trimestre de 2021, as estatísticas sobre vendas de e-commerce no Brasil apontaram um crescimento de 57,4% em relação ao mesmo período do ano passado, antes da pandemia se tornar parte do nosso cotidiano. Neste período, 78,5% milhões de compras online foram realizadas, gerando um faturamento de R$ 35,2 bilhões, um aumento de 82,2% em comparação com o mesmo período de 2020. Março de 2021 foi o 2º maior mês em volume de vendas na história do e-commerce brasileiro. O primeiro lugar foi da Black Friday de 2020, promoção que já existia antes do cenário pandêmico. As estatísticas recordistas do e-commerce não são apenas uma consequência de um cenário crítico de saúde pública, e seria injusto com os diversos profissionais que vêm intensificando e trabalhando as entregas de vendas online na última década. Ações de marketing como o Dia do Consumidor, Black Friday, Black Week e datas comemorativas permeiam as estratégias online de marcas consolidadas muito antes da primeira infecção pela Covid-19 no Brasil. 

Estatísticas do E-commerce

O brasileiro comprou online na pandemia não apenas pela sua eventual condição limitada, visto que home office e modelos híbridos de expediente não são uma possibilidade para todos trabalhadores. Mas o consumidor brasileiro tem investido mais na compra online porque confia nas etapas da jornada do cliente cada vez mais aperfeiçoadas no desenvolvimento de e-commerces. Apesar das restrições, as lojas físicas não estão completamente fechadas e é possível comprar pessoalmente. A verdade é que os consumidores brasileiros compram online porque as promoções são atrativas, a entrega acontece no prazo, existem diversas opções de pagamento, o pós-venda fideliza seu vínculo com a marca e a pessoa tem uma experiência mais personalizada durante o processo de compra no e-commerce. 

 

Então, quais os benefícios que o desenvolvimento de e-commerce em 2021 pode trazer para uma empresa?

Muitos brasileiros fizeram sua primeira compra online entre março de 2020 e junho de 2021, mas isso não indica que foi aberta uma exceção por conta do contexto, e sim que surgiu um novo hábito para milhares de brasileiros. O e-commerce segue em ascensão e tem sido a salvação de muitas empresas e profissionais em tempos de distanciamento social. Mas ele chegou para ser uma realidade também no contexto pós-pandêmico, só que ainda mais forte e com diferenciais, desenvolvidos a partir da análise de comportamento dos consumidores online, tanto os antigos quanto os recentes. Com mais lojas virtuais em funcionamento e mais usuários digitalizando seus processos diários, incluindo as compras, o e-commerce se firma como um segmento relevante da economia, enquanto outros nichos consolidados como o turismo infelizmente terão de se recuperar em momentos menos complexos.

Infográfico de porcentagem das vendas Online

Os 10 motivos para investir no desenvolvimento de e-commerce hoje mesmo

O primeiro motivo para apostar no desenvolvimento de e-commerce hoje mesmo não será listado abaixo, mas considerando que estamos em 2021, é unanimidade de pensamento no mercado que já passou da hora das empresas marcarem presença digital. O consumidor brasileiro continuará comprando online depois que a normalidade se instalar. É uma tendência forte, reflexo da transformação digital pela qual o mundo está passando, e o Brasil também. Os números também confirmam: o e-commerce é o segmento que mais se fortaleceu durante a pandemia. Se em um cenário negativo, a loja virtual é capaz de reforçar seu vínculo com o consumidor, da criação do desejo à entrega do produto e o pós-venda personalizado, imagine em uma situação sem crise de saúde. O e-commerce tem seu processo digital, mas possibilita a criação de uma cadeia colaborativa, gerando uma série de empregos, colaborações e terceirizações em torno do seu processo de vendas. A seguir, vamos conhecer 10 motivos para abrir um e-commerce em 2021.

  1. Crescimento do segmento

As lojas virtuais cresceram 40% no ano passado. Agosto de 2020 registrou 1,3 milhão de e-commerces. O consumidor brasileiro passou a procurar o serviço de compras online e foi atendido. Além das e-commerces estruturadas em sites, Google, Instagram, Facebook e marketplaces também oferecem possibilidades de vendas online. Como já mencionamos anteriormente, o e-commerce brasileiro gerou números surpreendentes no início de 2021, indicando que o segmento será um tendência adotada por milhões de pessoas no país. Para ser mais específico, o e-commerce ganhou 20,2 milhões de novos consumidores em 2020, assim como a frequência de compra, que subiu de seis para sete pedidos por consumidor.

  1. É mais em conta comprar sem sair de casa

Ok, pode parecer difícil, mas vamos fazer um breve exercício e voltarmos para os nossos contextos antes de março de 2020. Fazer compras sozinho, acompanhado ou com toda a família normalmente exigia uma ida ao shopping ou ao centro comercial de sua cidade. Essa ida tem custos: gasolina, transporte público, estacionamento, uma refeição e principalmente muito tempo. Tempo na fila de espera, tempo para provar ou testar, tempo para pagar, torcer para que aceitem o seu cartão e outros obstáculos na jornada do consumidor física. É claro que passeios ao shopping envolvendo compras normalmente vêm acompanhados de muita economia e muita expectativa, e simbolicamente registram o sucesso de um esforço individual ou familiar. Mas graças a estratégias de UX focadas no usuário, é possível reproduzir essa experiência de recompensa digitalmente. Além disso, a gamificação de processos que normalmente causam ansiedade, como as etapas de transporte da compra sendo atualizadas em tempo real, ressignificam a espera da compra.

Motivos para investir

  1. Promoções além do calendário

Como mencionamos anteriormente, o e-commerce brasileiro alcançou resultados inéditos em datas envolvendo promoções como Black Friday e Semana do Consumidor. A verdade é que essas datas movimentam a internet, mas as empresas e marcas não precisam se ater a estes motes. Atuando em parceria com o marketing digital e acompanhando o comportamento do consumidor, é possível estabelecer promoções que tenham a ver com os valores da marca, ou que envolvam os resultados das vendas. Descontos de aniversário personalizam a experiência de um usuário, que não precisa depender de datas comemorativas que não lhe dizem respeito.

  1. Cupons de desconto e formas de pagamento

Um dos acontecimentos mais corriqueiros em comércio e varejo é o cartão que não passa, ou a máquina que não funciona. O e-commerce elimina esse tipo de constrangimento e possibilita a compra através de inúmeras formas de pagamento, tornando qualquer produto mais acessível, e se aproximando mais do seu público. Os cupons de desconto, normalmente atrelados a promoções específicas de produtos em final de estoque ou mesmo lançamentos, são outra forma de fidelizar o público. Existem sites exclusivos de cupons para lojas, sempre dentro de um prazo estipulado e também de uma categoria de produtos. Compras recorrentes costumam ser recompensadas com descontos.

  1. Foco nas vendas

Lojas físicas utilizam de diversos artifícios para conquistar a atenção de um cliente. A música ambiente tocando nos alto falantes, os manequins exibindo os produtos e cuidadosamente dispostos na vitrine, a abordagem sutil dos vendedores. Mas uma hora a loja fecha. E se for justo a hora que o possível cliente saiu do seu expediente? O e-commerce está aberto 24 horas por dia, 7 dias por semana. As vendas sempre acontecem, mesmo que a marca define o dia e a hora de entrega. Em tempos onde não ter tempo é o que nos une, vale mais a pena esperar uma semana para ter sua compra em mãos do que tentar achar uma brecha para escapar das atividades do cotidiano por um tempo bem mais longo que cinco ou seis cliques.

  1. O e-commerce não anula o potencial de vendas da loja física

Acredite, mesmo com todas estatísticas e argumentos que listamos envolvendo e-commerce, não estamos aqui decretando o fim da loja física. Pelo contrário, a loja online é um reflexo da física, e ambos podem atuar simultaneamente. Por exemplo, o desenvolvimento de e-commerce faz com que a loja física custe menos, e os funcionários podem atuar na logística do e-commerce. Se o seu empreendimento é conhecido pelo atendimento diferenciado, por que não trazer essa mesma essência para a experiência do usuário nas plataformas digitais? 

  1. Marketing digital fortalecido

A integração do e-commerce com as ferramentas de mídias sociais é fundamental para um bom posicionamento digital da marca. O site pode funcionar perfeitamente em todas suas funcionalidades, mas se os anúncios do Google ou os posts do Instagram não reforçarem o quão interessante é a experiência de comprar naquela loja, fica difícil criar o vínculo inicial com o público. Jornadas de nutrição de e-mails marketing, grupos do Facebook e canais no YouTube são formas extremamente úteis não apenas para gerar novos leads, mas como estratégias de pós-venda e na formação de advogados da marca, aquelas pessoas que avaliam positivamente a experiência do serviço ou produto e que fazem questão de recomendar.

  1. Simples de começar

O que não falta no mercado são plataformas para desenvolver o e-commerce de uma marca. Algumas delas são a Magento, da Adobe, o Shopify, a VTEX e o CMS. A Magento é segura, repleta de funcionalidades e disponível em valores acessíveis, além de permitir o uso de extensões gratuitas. O Shopify é mais dinâmico, porque disponibiliza templates de e-commerce e adapta sua loja para design responsivo, funcionando em qualquer device como funciona em desktop, seja smartphone ou tablet. Já VTEX é uma plataforma de open source, possibilitando a um bom time de desenvolvedores a implementação e integração de soluções para tornar a experiência do usuário ainda mais completa. Outra plataforma semelhante ao VTEX é o CMS, que facilita a criação e atualização de conteúdo para pessoas que não são desenvolvedoras. Seus editores intuitivos, sistemas de gerenciamento de conteúdo facilitam para que redatores e profissionais de marketing abasteçam o e-commerce com conteúdo de alta qualidade mais frequentemente.

  1. Métricas e Dados

Por mais que uma loja física venda, e por mais público que ela tenha, é impossível obter a mesma profundidade de informações sobre o cliente durante os poucos cliques que efetuam a compra. O e-commerce coleta dados a partir de visitas que transformam a experiência dos usuários mais agradável, retendo o cliente por mais tempo no site ou aplicativo através de recursos que o mantenham entretido, até que a pessoa finalmente efetue a compra. Além disso, através da plataforma é muito mais rápido e fácil calcular as métricas envolvendo o faturamento da empresa, e também os índices utilizados para obter os melhores caminhos de retenção do cliente.

  1. O e-commerce é global

Países onde o e-commerce desenvolveu

As estatísticas no Brasil já são o suficiente para fazer qualquer empreendedor se questionar: “Quando devo começar o desenvolvimento do e-commerce da minha empresa?” Segundo relatório da Adobe, o e-commerce no mundo lucrou US$ 4,2 trilhões em 2021. Carteiras digitais e cartões de crédito estão sendo cada vez mais solicitados. Empreender através de um e-commerce hoje é internacionalizar o seu negócio, independente do tamanho e investimento. A possibilidade existe, e para aproveitar só depende da ambição de cada marca. 

Quero abrir um e-commerce em 2021. Será que minha marca tem potencial?

Toda marca tem potencial e um e-commerce amplia as possibilidades. As estatísticas para os próximos anos são promissoras, e aliadas à aplicação de estratégias de transformação digital no Brasil, é provável que a gente encerre a década mais digital do que nunca.

Se você procura uma solução em desenvolvimento de e-commerce para sua marca, a Attri possui um time de desenvolvedores e especialistas em UX e UI Design, para traduzir a essência de sua marca em diversas plataformas digitais. Também temos à disposição, uma equipe de marketing digital que trabalha em conjunto com o time UX para posicionar a sua empresa através de todas ferramentas possíveis, criando uma conexão especial com seu público e gerando resultados promissores.

Vamos fazer um orçamento? Entre em contato com a gente.

Fale com um especialista

Compartilhe

Quem escreveu este conteúdo:

Matias Lucena

Matias Lucena, bacharel em Publicidade e Propaganda pela Universidade de Caxias do Sul (UCS), redator publicitário, ilustrador de final de semana e apaixonado por música, futebol, quadrinhos e cinema. The Wire é o melhor storytelling da TV, mas meu coração vai estar sempre com a Família Soprano.

Inscreva-se em nosso blog

Acesse, em primeira mão, nossos principais posts diretamente em seu email