Índice

Para mais conteúdos como este, cadastre-se para receber nossa newsletter.

Compartilhe

GROWTH HACKING

Aumentar a presença digital é um caminho sem volta. Em tempos de pandemia, essa necessidade passou a ser uma exigência para as marcas que buscam a consolidação no mercado, oferecendo seus produtos e serviços de um jeito mais fácil e prático.

converse com comercial attri

Neste artigo, vamos falar sobre Growth Experience Design e como essa frente pode impactar positivamente o seu negócio. Boa leitura.

Entendendo o Growth

O termo “growth hacking” foi criado por Sean Ellis, em 2010. Basicamente, o conceito fala sobre o processo de adquirir, engajar e reter usuários com um custo relativamente baixo em relação às técnicas tradicionais de marketing. Para isso, devemos usar hipóteses e experimentos como as principais ferramentas.

O growth hacking é marketing orientado por experimentos.

O growth hacking é marketing orientado por experimentos.

Falar sobre growth hacking também é se referir a métodos e habilidades não convencionais de marketing para alcançar o melhor desempenho, através da criatividade. Isso significa criar e desenvolver soluções de crescimento por meio de tentativas ousadas, mensurando os erros e acertos, baseados em números.

A metodologia de growth hacking surgiu através das startups com rápido crescimento. Sua ousadia em optar por iniciativas de marketing bem “fora da caixa” alcançou resultados muito maiores do que as técnicas convencionais.

Como o growth hacking combina com UX Design

Quando pensamos em growth com UX Design, o foco é conectar as esferas de necessidades do ser humano, negócios e tecnologia. Portanto, nada mais justo que a experiência do usuário contribuir também com o crescimento de uma empresa.

Um caso bem conhecido de growth hacking que mescla bem o marketing com UX Design é o Dropbox, um dos principais nomes quando falamos de hospedagem de arquivos na nuvem.

Nos seus primeiros anos de operação, a empresa identificou que os gastos com marketing pago eram maiores do que o faturamento com assinaturas. Se você é um usuário Dropbox, sabe que o serviço oferece gratuitamente um espaço para armazenamento de arquivos na nuvem. Foi então que o time criou uma ação que consistia na premiação de usuários ao indicar amigos e familiares para usar a ferramenta. Por exemplo: um usuário que indicou um amigo que efetuou o cadastro, automaticamente, ganharia mais espaço na nuvem.

Com essa simples ideia, o Dropbox passou de 100 mil para 4 milhões de usuários em apenas 15 meses.

Sim, o marketing acertou em cheio! Mas nada faria sentido se a experiência do usuário fosse ruim ou difícil. É por isso que a jornada de indicação era a mais simples possível, com um UX Design redondinho, no qual em poucos cliques o usuário conseguia enviar convites para os amigos se cadastrarem no Dropbox e, automaticamente, ganhar mais espaço.

No mundo do growth hacking e UX Design, existe uma técnica bem famosa, conhecida como “métrica pirata”: o AARRR. Dave McClure, fundador da 500 Startups, foi quem desenvolveu a estrutura AARRR. Ele criou o framework ao perceber que muitas startups se perdiam na hora de mensurar os seus produtos.

A métrica pirata:

Aquisição, ativação, retenção, recomendação, receita

Aquisição, ativação, retenção, recomendação, receita

Perceba o quanto o case do Dropbox citado anteriormente responde positivamente a todas as perguntas da métrica pirata. Uma dica é sempre pensar em estratégias que explorem as formas de crescimento ligadas aos pensamentos e processos de UX Design, sem abrir mão dos pontos-chave de growth: criatividade, hipóteses e métricas.

Vamos falar sobre cada uma das particularidades da Métrica Pirata? Acompanhe com a gente.

Aquisição

Esse é o momento em que você tem a atenção do usuário. Um bom exemplo são as práticas de SEO, conteúdos estratégicos de landing pages e o marketing viral que fisga o perfil ideal dos clientes.

Ativação

Se chegamos até aqui, significa que a visita inicial foi bem sucedida. Prova disso é o lead ter criado um primeiro cadastro no sistema, por exemplo. Esse é o timing perfeito para você oferecer uma experiência “wow” contando, é claro, com nosso amigo UX Design. Deixe que o usuário sinta a fluidez em adquirir mais conhecimento sobre o seu produto e serviço, avançando  na curva de aprendizado com naturalidade.

Retenção

Se o usuário continua por aqui, significa que ele está gostando do produto. A missão crucial nessa etapa é garantir a continuidade do uso e engajamento. Existem várias técnicas bem legais para esse momento, como elementos gamificados, uma barra de progresso, um feedback ou até mesmo recompensas atrativas.

Recomendação

Trata-se da indicação do seu produto ou serviço para outros usuários potenciais. Como o exemplo do Dropbox, com a estratégia “member get member”. É muito importante acompanhar o número de usuários que utilizam o recurso de recomendações e quantos destes realmente se tornam clientes.

Receita

Aqui o seu produto ou serviço finalmente é pago ou contratado. Esse é um excelente validador de aprovação. 🙂

Nesta etapa, o Growth UX pode agir, assegurando que a experiência da compra aconteça com o mínimo de ruído ou barreiras. Portanto, não é hora de distrair o usuário. Deixe ele efetuar o pagamento com fluidez, recebendo mensagens humanizadas e amigáveis.

Por que você deve pensar em Growth?


A expansão dos mais diversos estabelecimentos comerciais para o mundo digital deu um boom após a pandemia. Do total de lojas abertas no comércio eletrônico, os pequenos negócios são responsáveis por quase a metade.

Lojas virtuais brasileiras saltou 930 mil para 1,3 milhão entre 2019 e 2020 segundo dados do PayPal

Lojas virtuais brasileiras saltou 930 mil para 1,3 milhão entre 2019 e 2020 segundo dados do PayPal

Sendo assim, a loja virtual tornou-se não apenas o principal local de venda, mas também o primeiro ponto de contato do cliente com a marca. Quando você oferece uma jornada bem elaborada e criativa, aumenta não apenas o potencial de vendas, mas a evolução da percepção de valor da marca.

Se considerarmos que o crescimento de uma empresa é essencialmente baseado em aquisição e retenção, uma jornada engajadora levará o usuário a uma experiência encantadora, permitindo que os usuários voltem para obter mais ou compartilhem com seus amigos.

É por isso que criar estratégias eficazes que compreendam os desejos e necessidades do consumidor através de incentivos, facilidade nos canais de comunicação e até mesmo respostas rápidas e eficientes sobre dúvidas, faz toda diferença. Isso é growth, isso é UX Design, isso é boa experiência!

Como a Attri pode ajudar o seu produto digital

Temos um time de especialistas em UX e UI Design, que aplica todos os conhecimentos para identificar oportunidades que permitam alavancar os produtos e serviços digitais dos nossos clientes, através de uma boa experiência.

Se interessou? Converse com um de nossos especialistas para saber mais.

Conversar com nossos especialistas


Compartilhe

Quem escreveu este conteúdo:

Daniela Barbosa

Oi! Sou a Dani Barbosa, redatora, formada em Publicidade e Propaganda e cursando pós em Gestão Estratégica de UX Design. Ao invés de ser tagarela, uso o teclado para trocar ideias! Fique à vontade por aqui, tem muito artigo legal pra ser lido.

Inscreva-se em nosso blog

Acesse, em primeira mão, nossos principais posts diretamente em seu email