Índice

Para mais conteúdos como este, cadastre-se para receber nossa newsletter.

Compartilhe

Nos últimos dois anos, empresas em todo o mundo foram atingidas pela pandemia da Covid-19. No entanto, a disrupção acaba gerando inovação nas vitrines físicas e digitais. É importante considerar como avanços tecnológicos na indústria do varejo podem afetar tanto grandes empresas quanto pequenos empreendimentos da mesma forma.

Ao contrário de outros setores onde o principal objetivo é se manter lucrativo, no varejo o foco muda para alcançar uma excelente e personalizada experiência do consumidor. Os últimos meses de 2021 aceleraram a transformação digital, e os hábitos de consumo seguiram para uma direção onde compras omnichannel e e-commerce são prioridades para determinados negócios. Isso significa que é essencial entender para onde estas tendências estão levando e quais os segredos para tornar um negócio de varejo competitivo no futuro.

A transformação digital no mercado de varejo

Os hábitos de consumidores mudaram de forma rápida e significativa nos últimos anos, e isso significa que os varejistas não precisam ficar presos em processos mais tradicionais. É essencial que empresas vejam e entendam as novas tendências e como a digitalização irá se tornar seu melhor aliado.

imagem texto blog 15 tecnologia varejo 01

Ao confiar na tecnologia, as decisões das empresas são melhoradas com o objetivo de aumentar as vendas, graças a análises de milhões de dados em tempo real. O compromisso com propósitos disruptivos, métodos de pagamento simples e convenientes ou processos de automatização são apenas algumas sugestões para ser  um varejo inteligente, lucrativo e pronto para o futuro e suas mudanças.

Sistemas de Ponto de Venda e E-commerce

Além de vender produtos em lojas físicas, muitas redes de varejo estão oferecendo serviços de compra online e retirada na loja, entrega no mesmo dia e envio online. Com tantas novas maneiras de comprar, os sistemas de ponto de venda precisam ser atualizados de forma inteligente. Quando um usuário solicita um produto online, como isso afeta a quantidade disponível na área de vendas da loja física? Se um produto está em espera para uma ordem de retirada, isso reduz a conta na área de vendas? Estas são questões que um sistema moderno de ponto de venda precisa responder.

Nem todos os negócios conseguiram sobreviver à mudança nas opções de varejo digital. As lojas físicas da Microsoft fecharam nos EUA durante a pandemia. No entanto, redes de varejo que conseguiram se adaptar, como a Walmart, continuaram vendendo, funcionando e mantendo empregos.

O segredo é adotar sistemas ao invés de lidar com compras online e nas lojas, mas um sistema unificado e conectado que é integrado a outras tecnologias utilizadas pela rede de varejo. Integrações online e transações offline, inventários e promoções em todos os locais presenciais e lojas online são alguns dos maiores obstáculos que os engenheiros de software buscam superar com o desenvolvimento de sistemas de pontos de venda para empresas de varejo.

Implementação de Sistemas de Prevenção de Intrusos em redes de varejo

O desafio é implementar soluções de navegação em loja para seu negócio de varejo. O primeiro passo é o hardware. Contar com a infraestrutura adequada no lugar é essencial, sejam tecnologias Bluetooth, Wi-Fi RTT ou banda ultralarga através dos beacons, dispositivos emissores que identificam qualquer dispositivo móvel no local onde estão instalados.

A rede de varejo americana Target optou por implementar sistemas de iluminação bluetooth de Internet das Coisas em diversas lojas. Quando os clientes fazem compras com o aplicativo Target em seus smartphones nas lojas, eles ganham acesso a um mapa que localiza sua posição no local e os ajuda a encontrar os itens de que precisam.

Esta solução específica colocou os sinalizadores bluetooth nos sistemas de iluminação acima do piso de vendas. No entanto, outras soluções podem ser possíveis de acordo com o tamanho da loja. Depois que a infraestrutura estiver configurada, tudo o que resta é desenvolver o software que pode aproveitá-la.

Os sistemas de prevenção de intrusos têm muito mais potencial do que apenas ajudar os consumidores nas  compras. Obter dados sobre onde os clientes compram na loja tem três benefícios diretos: sugestões direcionadas, rastreamento de tráfego de clientes e rastreamento de itens.

Realidade aumentada para clientes e funcionários

Experiências de compra com realidade aumentada vão se tornar comuns em 2022. Com provadores virtuais, navegação nas lojas melhorada por RA, e outras experiências de RA se espalhando pelo mercado varejista, quem não se atualizar com esses recursos vai começar a ficar para trás. Este é um dos avanços tecnológicos essenciais que irão tornar visível a diferença entre e-commerces e as lojas físicas.

Algumas das aplicações de RA mais importantes para a indústria do varejo online é possibilitar aos clientes provarem os produtos virtualmente antes de comprarem. A tecnologia de provador virtual já é real. A RA permite que o consumidor se veja com as peças de roupas que pretende comprar. E essa tecnologia pode ser usada para outros produtos, como mobília e decoração.

Inteligência artificial na indústria do varejo

Em quase todas as tendências que foram discutidas até agora, a inteligência artificial desempenhou seu papel de alguma forma. A realidade virtual contemporânea é alimentada por análise de cena de IA. No entanto, a IA pode oferecer mais benefícios no setor de varejo do que isso. A IA pode ser usada no gerenciamento de estoque e em outros tipos de análise do comportamento do consumidor.

A indústria do varejo já é conduzida por computadores e bases de dados valiosas muito antes de 2022. No entanto, a complexidade destes sistemas gerou uma série de ineficiências e erros. Trabalhadores do varejo podem achar que o sistema apresenta um número incorreto de vendas em relação às unidades de manutenção de estoque. Resolver estas questões é essencial para salvar tempo e dinheiro para o negócio.

A IA pode ajudar o varejo a gerenciar seus inventários mais efetivamente com uma série de métodos diferentes. Por exemplo, a IA pode mensurar as análises dos gastos de consumidores para prever quando determinados tipos de itens devem ser movidos para a área de vendas.

Isso pode levar o sistema a exigir auditoria manual de certas áreas em detrimento de outras. Embora auditar toda a loja seja uma tarefa desafiadora, auditar apenas as áreas que precisam de atenção é muito mais eficaz.

imagem texto blog 15 tecnologia varejo 02

Previsão de demanda orientada por IA

Esta é uma ferramenta poderosa utilizada por algumas das maiores marcas do mundo. Alguns anos atrás, ficou evidente que alguns negócios não estavam prontos para episódios como as compras de estocagem de consumidores assustados com a pandemia da Covid-19. À medida que os produtos saíam das prateleiras, as lojas que conseguiram se adaptar e repôr itens de alta demanda prosperaram.

Para atender às necessidades do público durante a pandemia, a previsão de demanda impulsionada pelo aprendizado de máquina decolou. A Amazon é um exemplo de empresa que aproveita o poder do aprendizado de máquina para esse fim. Essa tecnologia também pode melhorar o planejamento de estoque, gerenciamento de relacionamento com clientes e fornecedores, logística, fabricação e marketing.

A previsão de demanda gera um consumo e produção mais sustentáveis. Quando a demanda é prevista com mais precisão, os itens podem ser produzidos e encomendados apenas de acordo com a necessidade do consumidor.

As abordagens de previsão de demanda baseadas em machine learning são muito mais versáteis e adaptáveis ​​do que suas contrapartes tradicionais. Como o aprendizado de máquina pode ser implementado rapidamente, ele pode acompanhar melhor as tendências de demanda do cliente, que costumam mudar o tempo todo.

Robôs e Automação no varejo

Os robôs estão intimamente relacionados à inteligência artificial. Isso significa uma infinidade de aplicativos, como entrega, gerenciamento de estoque e atendimento ao cliente.

Conforme a inteligência artificial melhora, os veículos autônomos também seguem o mesmo caminho. A entrega evoluirá em 2022, sendo a entrega autônoma a bola da vez.

O carrinho Safeway, desenvolvido pela Tortoise, foi apresentado no ano passado como um veículo de entrega autônomo. A Serve Robotics, anteriormente chamada de Postmates X, também está fazendo um robô de entrega para o Uber. Com o Grubhub implementando com sucesso robôs autônomos de entrega de alimentos para campus universitários, como a Ohio State University, o potencial dessa tecnologia não poderá  mais ser subestimado.

A entrega de varejo por drone também está sendo explorada. A Verizon e a UPS Flight Forward anunciaram no ano passado que estavam trabalhando para alavancar as tecnologias 5G e melhorar a entrega de drones na Flórida, EUA.

Robótica de atendimento ao cliente

A robótica de atendimento ao cliente também tem sido aplicada no varejo. Em janeiro de 2021, a Hyundai apresentou um robô chamado DAL-e, que auxiliaria em showrooms automotivos. O robô pode cumprimentar os clientes e ajudá-los a encontrar o veículo que atenda às suas necessidades, além de também usar reconhecimento facial e IA para detectar se o cliente está usando uma máscara, e aconselhá-lo adequadamente sobre as regras de prevenção da pandemia no local.

Gerenciamento de inventário robótico

Às vezes, o hardware pode ajudar no gerenciamento de inventário, onde as câmeras montadas no teto e na prateleira não podem. Máquinas como o SmartSight conseguem automatizar o processo de identificação de itens extraviados nas prateleiras e quantidades no local de vendas, além dealertar os trabalhadores quando certos itens estão acabando.

Comércio por voz

À medida que a inteligência artificial melhora em 2022, o mesmo acontece com o processamento de linguagem natural. Assistentes inteligentes como Google Assistant, Alexa, Siri e Bixby estão se tornando cada vez mais avançados em seu reconhecimento de voz e capacidade de resposta.

A capacidade destas IAs de atender clientes no setor de varejo melhorou consideravelmente. Há uma grande quantidade de nuances a serem exploradas com o processo de pedido de produtos em casa com sua voz, com ou sem tela,para ajudá-lo visualmente. O Walmart’s Voice Ordering é um ótimo exemplo dessa tecnologia em ação. Ao solicitar que os alto-falantes inteligentes adicionem produtos a um carrinho, eles podem fazer pedidos inteiramente por voz. Esses itens podem ser disponibilizados para retirada pelos funcionários do Walmart.

O futuro do varejo e a tecnologia

imagem texto blog 15 tecnologia varejo 03

O varejista do futuro aproveitará o poder dos dados, computação quântica, inteligência artificial e realidade aumentada, diz o empreendedor serial e especialista em tecnologia John Straw.

O futuro do varejo, de acordo com Straw, pertence aos varejistas que investem corajosamente em “tecnologia de ponta – não se preocupando em como isso afeta o demonstrativo de lucros e perdas, mas em como afetará o valor do negócio para o consumidor”.

Acho que nesse pode ter aquele parágrafo falando da Attri, que pode ajudar a pessoa a encontrar as melhores tecnologias para atualizar o tipo de negócio…

Compartilhe

Quem escreveu este conteúdo:

Matias Lucena

Matias Lucena, bacharel em Publicidade e Propaganda pela Universidade de Caxias do Sul (UCS), redator publicitário, ilustrador de final de semana e pós-graduando em User Experience Design and Beyond pela PUC -RS. The Wire é o melhor storytelling da TV, mas meu coração vai estar sempre com a Família Soprano.

Inscreva-se em nosso blog

Acesse, em primeira mão, nossos principais posts diretamente em seu email