Índice

Para mais conteúdos como este, cadastre-se para receber nossa newsletter.

Quero receber

Compartilhe

Ao pensarmos em projetos digitais como sites e aplicativos, é muito comum que grande parte deles nunca cheguem a ter um contato direto com o público final do produto, durante a fase de construção e validação da ideia. Por isso, a pesquisa é uma etapa fundamental para a concretização de um produto eficiente e que resolva as dores do usuário. Principalmente quando falamos em produtos e serviços digitais criados para atender às necessidades corporativas, ou seja, interfaces usadas para uso interno das empresas, no qual os colaboradores são os grandes usuários finais.

 

Muitas empresas pensam que investir em usabilidade é caro, complexo e que os testes de usuário devem ser reservados para os raros projetos de web design com um orçamento enorme e um cronograma exagerado. Mas isso não é verdade! Neste artigo, falaremos sobre a importância da pesquisa dos usuários e quanto essa etapa conduz todo o percurso da construção do produto digital. Boa leitura!

 

O UX e a metodologia de pesquisa

Quando entendemos a importância da etapa de pesquisa e entrevista com o usuário, fica ainda mais difícil entender o por que das empresas pularem essa etapa tão importante. Em argumentos, aplicar a pesquisa economiza dinheiro, tempo e refações. A validação permite minimizar erros e eventuais problemas que geram horas de retrabalho. Além disso, aumenta a chance de sucesso do produto, influenciando diretamente no aumento dos lucros e crescimento da empresa. Principalmente quando falamos de uma interface desenvolvida para uso interno de uma companhia, com o objetivo de melhorar o fluxo de trabalho dos colaboradores, otimizar tempo e integrar as áreas.

 

Dentro do guarda-chuva de UX, temos a área de UX Research, que envolve não apenas uma varredura aprofundada sobre o segmento e o mercado, mas também a aplicação de pesquisas com os usuários, utilizando diferentes técnicas e ferramentas para que o resultado seja o mais eficiente possível, resolvendo as dores e problemas identificados e “escapando” do viés dos gestores, clientes, colegas do time e outros influenciadores que de alguma forma, possam interferir nas respostas das pesquisas.

 

Tais técnicas permitem uma interpretação de dados mais ampla, ajudando na compreensão comportamental do usuário sob uma ótica sistemática.

Quer conhecer mais sobre quais são os recursos de UX Research para empresas? Então continue a leitura com a gente!

 

Como é feita a pesquisa com usuários

É importante ressaltar que durante a construção de um produto ou serviço digital, nada é por acaso. Os designers e demais profissionais do squad elaboram os projetos com base nas informações valiosas que são coletadas e interpretadas, chegando a uma entrega que se encaixe o mais próximo possível de uma solução que resolva os problemas reais.

Analisando de forma ampla, a etapa de pesquisa é, na prática, uma forma de testar todas as suposições e validar a construção de aplicativos, softwares, interfaces, produtos e serviços na perspectiva do público final, seja ele um cliente ou um colaborador da empresa. Aqui, o objetivo é precioso: entender tudo – ou quase tudo – sobre essas pessoas e como a solução que está em desenvolvimento irá, de alguma forma, beneficiar o trabalho ou a vida delas.

Para isso, a pesquisa de UX research pode ser elaborada em duas etapas:

realização de coleta de dados e analise dos dados para usabilidade

Na primeira etapa já é possível descobrir qual a necessidade do cliente, através da realização de entrevistas e observação do comportamento do público. Em seguida, os dados coletados são transformados em ideias e insights para dar segmento ao projeto.

Já a segunda etapa da pesquisa acontece quando o produto está em desenvolvimento. Assim, é possível aprimorar o produto, principalmente com os testes de usabilidade, detectando as percepções e possíveis alterações que melhorem a experiência do usuário.

No entanto, para aplicarmos a pesquisa, é importante conhecer as metodologias utilizadas na área de UX Research para empresas, permitindo a reunião e interpretação de todos os insights para traçar caminhos inteligentes e pertinentes. Descubra quais são elas!

 

Metodologias de UX para pesquisa com colaboradores

Existem metodologias incríveis de UX Research para empresas utilizarem na composição do seu produto digital. Acompanhe com a gente quais são as mais usadas pelos profissionais da área.

tipos de pesquisas quantitativas e qualitativas

  • Pesquisa quantitativa: o objetivo é identificar números e dados mensuráveis, como porcentagem de usuários que conseguem usar um produto e número de cliques em determinados botões, etc.
  • Pesquisa qualitativa: a intenção aqui é compreender a ação do usuário, o motivo por ter clicado em determinado botão, quais motivos levaram a executar tal ação e quais as principais interações e comportamentos.

 

A quantidade de entrevistados

Pesquisa quantidade de entrevistados

Um estudo desenvolvido por Jakob Nielsen, um respeitado cientista da computação e considerado como um dos maiores gurus da usabilidade, aponta que os melhores resultados vêm do teste feito com não mais que cinco usuários. Assim que você coleta dados de um único usuário de teste, seus insights aumentam e você já aprendeu quase um terço de tudo o que há para saber sobre a usabilidade do design.

Ao testar o segundo usuário, você descobrirá que essa pessoa faz algumas das mesmas coisas que o primeiro usuário, portanto, há alguma sobreposição no que você aprende. As pessoas são definitivamente diferentes, então também haverá algo novo que o segundo usuário fará e que você não observou com o primeiro usuário. Portanto, o segundo usuário adiciona alguma quantidade de novos insights, mas não tanto quanto o primeiro usuário.

O terceiro usuário fará muitas coisas que você já observou com o primeiro ou com o segundo usuário e até mesmo algumas coisas que você já viu duas vezes. Além disso, é claro, o terceiro usuário irá gerar uma pequena quantidade de novos dados, mesmo que não tanto quanto o primeiro e o segundo usuários geraram.

À medida que adiciona mais e mais usuários, você aprende cada vez menos, porque continuará vendo as mesmas coisas continuamente. Não há necessidade de ficar observando a mesma coisa várias vezes, e você ficará muito motivado para voltar à prancheta e redesenhar o site para eliminar os problemas de usabilidade.

Segundo Nielsen, após o quinto usuário, o UX Research estará perdendo tempo observando as mesmas descobertas repetidamente, mas não aprendendo muitas coisas novas.

 

Como se preparar para realizar uma pesquisa com colaboradores

A preparação da pesquisa acontece logo na etapa inicial do produto, durante a definição da estratégia. Assim, os dados podem ser coletados em uma pesquisa de campo ou em entrevistas online, por exemplo.

Nessa fase, as pesquisas têm como objetivo o melhoramento contínuo do produto, reduzindo os riscos, alterações de formatos, etc. Aqui, os testes de UX Research com colaboradores são realizados usando protótipos, estudos de campo, design participativo (trocas de conversas em grupo) e experiências de usabilidade.

Já na fase de avaliação, o UX Research para empresas é voltado no entendimento do desempenho do produto, visando a comparação com concorrentes para buscar melhorias. Esses métodos podem ser avaliações online, pesquisas, testes A/B e demais benchmarking de usabilidade. Aqui, tenha em mente quem é a persona e o problema que você deve solucionar dentro da empresa.

Neste artigo da Attri, explicamos a fundo quais são os métodos de pesquisas mais aplicados pela área de UX Research.

 

Como aplicar uma pesquisa de UX Research dentro da empresa

Entendemos que nem sempre os entrevistados possam se sentir à vontade para responder as perguntas com sinceridade, principalmente quando falamos de colaboradores de uma mesma corporação. Em alguns momentos os times ou funcionários podem se sentir pressionados ou acanhados em dizer a verdade. No entanto, o próprio dia a dia do entrevistado pode ser um canal para identificar dores, problemas e melhorias que podem estar diretamente associadas na construção do produto digital, sem enviesar a análise da UX Research. Por exemplo:

  • Área de atendimento ao consumidor (SAC): uma opção interessante para obter acesso não apenas ao ponto de vista que o cliente final tem sobre a empresa, mas também sobre como o time interno interage com o consumidor, como é o fluxo de trabalho dos times, a empatia, a motivação e a entrega dos resultados. O atendimento ao consumidor é o coração da empresa. Seja qual for o objetivo do produto interno que está sendo criado, com certeza a área de SAC pode contribuir e muito para a análise da pesquisa.

 

  • Análise dos competidores: como os times da concorrência se organizam? Qual é o melhor fluxo de trabalho para manter a produtividade? Essas são perguntas que facilmente terão respostas pela simples observação e pesquisa dos competidores diretos.

 

  • Formulários de contato via e-mail: também conhecida como a área do “fale conosco”, esse é um canal de contato que apesar de ser focado no consumidor final, pode ter insights poderosos que impactam diretamente na construção do seu produto ou serviço interno. Afinal, simples ideias podem mudar o fluxo de trabalho e desbloquear a produtividade.

 

  • Fóruns online: pode parecer ultrapassado, mas há quase duas décadas as pessoas se reúnem em fóruns e comunidades onlines para esclarecer dúvidas sobre produtos, serviços e diversos assuntos. Dependendo da área de atuação da sua empresa ou a dor a ser solucionada pelo novo projeto digital, algumas respostas ou insights podem estar só esperando para ser lida por você em algum fórum da internet.

 

Como a Attri pode ajudar você nas pesquisas para empresas

Na Attri, nossa equipe de UX Research é composta por profissionais de diferentes expertises para aplicar metodologias que atendam aos mais diversos segmentos. Se você procura a criação e o desenvolvimento de produtos digitais corporativos, focados exclusivamente na melhoria de fluxos de trabalho e na produtividade do seu negócio, entre em contato com nossos especialistas para agendar uma conversa.

Fale com um especialista

Compartilhe

Quem escreveu este conteúdo:

Daniela Barbosa

Oi! Sou a Dani Barbosa, redatora, formada em Publicidade e Propaganda e cursando pós em Gestão Estratégica de UX Design. Ao invés de ser tagarela, uso o teclado para trocar ideias! Fique à vontade por aqui, tem muito artigo legal pra ser lido.

Inscreva-se em nosso blog

Acesse, em primeira mão, nossos principais posts diretamente em seu email