Índice

Para mais conteúdos como este, cadastre-se para receber nossa newsletter.

Quero receber

Compartilhe

Quando se trata de desenvolvimento de app, é importante frisar que todo aperfeiçoamento no aplicativo é resultado de um acompanhamento. Sem o acompanhamento, ou tracking, apropriado, é impossível saber como o aplicativo está performando, se tem potencial lucrativo ou apenas gera decisões baseadas em especulações, que provavelmente levarão ao fracasso. Por isso, existem métricas e kpis específicos para aplicativos. Estas métricas são formas de avaliar aspectos específicos de um aplicativo, como seu tempo de carregamento ou taxa de estabilidade. Já os kpis, indicadores de desempenho, desempenham um papel igualmente significante a outras métricas na execução de uma estratégia de sucesso através do lançamento de um aplicativo.

Mas se existem dúzias de métricas para confirmar ou não o sucesso de um aplicativo, quais delas realmente importam? 

 

Métricas de Otimização de App Store (ASO)

 

Conhecidas como App Store Optimization (ASO) Metrics, as métricas de otimização de app stores consistem em melhorar a visibilidade e potencial de descoberta de um aplicativo mobile nas app stores, como Google Play e Apple Store, por exemplo, com o objetivo de aumentar o número de downloads orgânicos e instalações.

 

De certa forma, esta métrica é um SEO direcionado especificamente para Google Play e Apple Store, porque na essência, app stores nada mais são que ferramentas de busca para aplicativos ao invés de sites.

 

Embora envolva diversas subcategorias de métricas, a ASO varia de acordo com a prioridade de desenvolvedores e usuários, sendo que as mais importantes sempre são visibilidade e conversões. A visibilidade garante que o público-alvo encontre o app em resultados de busca. As métricas cruciais aqui são as palavras-chaves e o posicionamento do app dentro do ranking de sua categoria. Estas métricas de aplicativo dizem onde o app se encontra no ranking através de resultados de busca de palavras-chave ou categorias de aplicativo, respectivamente. Através de ferramentas como AppTweak, é possível usar estes dados para melhorar o posicionamento nas apps stores.

 

Já as conversões se referem a quantas pessoas instalaram o aplicativo após encontrá-lo em resultados de busca, e são medidas com uma métrica chamada Taxa de Conversão, ou Conversion Rate (CR).

 

A CR mostra o quão efetivos as páginas, ícones ou nomes de um aplicativo são a ponto de atrair usuários para que façam o download deles nas apps stores. 

 

Para calcular a CR, divide-se o número de instalações de aplicativos pelo número de usuários que visitaram a página do aplicativo. 

taxa de conversão

A CR é um benchmark vital para ajustar detalhes já mencionado, como o nome da página do produto ou ícone, por exemplo, para gerar mais downloads. É possível utilizar testes A/B através de ferramentas como Split Metrics para testar vários protótipos e observar quais deles mais aumentam a taxa de conversão. A CR faz parte das métricas ASO, um assunto cheio de nuances e valores próprios.

 

Tempo de carregamento do app

 

O tempo de carregamento do app, como o próprio nome diz, mede o tempo que os usuários levam para interagir na página inicial a partir do momento em que o aplicativo está em uso. É uma das métricas mais significativas para avaliar a performance do app, impactando diretamente na experiência do usuário (UX). Por exemplo, um usuário desapontado pode deixar uma avaliação negativa na página de um aplicativo, afetando na tomada de decisão de outros usuários em possíveis conversões. 

 

Firebase Performance Monitoring, a ferramenta do Google ideal para medir tempo de carregamento e latência do aplicativo

 

Monitorar e otimizar o tempo de carregamento tem que estar no topo da lista de manutenção de um aplicativo. O Google oferece uma ferramenta gratuita chamada Firebase Performance Monitoring, que possibilita coletar tempos de carregamento e outras métricas de performance diretamente dos usuários. Se um aplicativo demora para carregar, existem inúmeras formas de consertar este problema, incluindo comprimir imagens da interface para reduzir o seu tamanho de arquivo, simplificar o código do app para execução mais rápida e, caso o app faça uso, atualizar plugins terceirizados que o deixam lento.

 

Latência do app

Quando um aplicativo exige dados de um servidor ou base de dados, é possível que haja um breve atraso. É o que se chama de latência do app e não é a mesma coisa que o tempo de carregamento do aplicativo. A latência é o tempo que se passa entre a ação do usuário e a resposta do aplicativo. E assim como o tempo de carregamento, é possível medir a latência do aplicativo gratuitamente com o Google Firebase Performance Monitoring. Apontar a latência de 1 segundo ou menos é o ideal para a melhor experiência de usuário (UX). Infelizmente, a latência do app é inevitável devido ao atual contexto das redes de computadores. O objetivo aqui é diminuir ao máximo o delay para oferecer a melhor experiência. Comparada ao tempo de carregamento, a latência do aplicativo é mais complicada de resolver porque envolve infraestrutura que está além do controle dos desenvolvedores. Mas é possível melhorar a situação usando redes de fornecimento de conteúdo, ou content delivery networks (CDN). CDNs armazenam os dados do app em servidores geograficamente próximos dos usuários finais, tornando os aplicativos mais rápidos. E se não for possível esconder o delay, é possível criar recursos como barras de progresso com conteúdo de valor, gamificando a experiência do usuário e evitando que a pessoa abandone o app.

 

Taxa de instabilidade

A taxa de instabilidade é essencial para medir a performance e o engajamento, porque garante que as pessoas continuem utilizando um aplicativo sem qualquer perturbação. Quando estas perturbações acontecem, em forma de falhas e erros, o aplicativo trava. A frequência com que isso acontece é medida na taxa de instabilidade, no inglês, crash rate.

 

Quando um app trava não é frustrante apenas para os usuário, mas também porque se trata do reflexo de um desenvolvimento fraco daquele aplicativo. Diminuir a taxa de instabilidade é uma das formas mais efetivas de melhorar a avaliação de um aplicativo mobile. Por sorte, tanto a App Store quanto a Google Play oferecem relatórios detalhados de instabilidade dos aplicativos para consulta.

Medidas de instabilidade

É praticamente impossível que um aplicativo não trave. A estratégia deve focar em manter o mínimo. Além disso, instabilidades, erros e falhas podem ser benéficos, pois aprendemos com eles para as próximas atualizações, mas desde que sejam resolvidos o mais breve possível.

 

Custo de Aquisição do Consumidor

O Custo de Aquisição do Consumidor (CAC) mede quanto uma empresa ou startup gasta em média para que alguém use os aplicativos das suas marcas. Juntamente a outras métricas de aquisição, o CAC é capaz de mostrar muito sobre o desempenho financeiro geral de um app. Quanto menor o valor desta métrica, maior o potencial lucrativo de um app. 

custo de marketing do aplicativo

Existem outras formas de calcular o CAC de acordo com o modelo de negócios de um app, como, por exemplo, calcular usuários gratuitos e usuários pagos separadamente.

 

Outros custos podem ser considerados neste cálculo, como desenvolvimento, manutenção e administração, chegando a um resultado que compreende melhor as nuances do custo de cada usuário. Para manter o CAC baixo, é importante aumentar o número de leads para o app enquanto reduz e otimiza seus gastos com marketing.

 

Valor vitalício do consumidor (CLTV)

 

Esta métrica calcula qual a receita que cada usuário traz durante toda a sua vida útil no aplicativo. Para calcular o valor vitalício do consumidor, precisamos levantar algumas variáveis antes de chegar a fórmula.

 

Primeiro, precisamos saber o que é Receita de Aplicativo por Usuário, métrica se refere a quanto dinheiro um usuário traz para o aplicativo.

 

Já a Taxa de Rotatividade é a métrica para como muitas pessoas instalam um aplicativo depois de um determinado período. No entanto, é invertido na fórmula (1/Taxa de Rotatividade), então, passa a representar a taxa de retenção ou quantas pessoas permanecem e continuam usando seu aplicativo.

 

O valor de referência é a média de dinheiro gasto por um usuário para convencer outras pessoas a usar um aplicativo.

 

CLTV é a receita do aplicativo, o oposto do CAC. Como representam aspectos vitais da saúde financeira do aplicativo, quando combinados são poderosos.

Custo de aquisição do consumidor CAC

No entanto, o caminho mais direto é aumentar a monetização do aplicativo, mensurada através da Receita de Aplicativo por Usuário e da Receita de Aplicativo por Usuário Pago.

 

Estas 2 métricas são fundamentais para calcular a monetização do app ou como converter engajamento do usuário em receita. Ainda assim, qual a diferença entre os 2, e quando se usa um ou outro?

receita de aplicativo por usuário

A Receita de Aplicativo por Usuário é útil para uma visão geral da estratégia de monetização. Mas essa métrica não difere entre usuários pagos e gratuitos, por isso se usa a Receita de Aplicativo por Usuário Pago.

 

A Receita de Aplicativo por Usuário Pago é a média de ganhos que o aplicativo tem por usuário pago. Para calcular, divide-se a receita total pelo número de usuários pagos ativos em determinado tempo.

 

Otimizar estas métricas (CAC, CLTV, Receita de Aplicativo por Usuário e Receita de Aplicativo por Usuário Pago) é essencial para ganhar dinheiro com um aplicativo.

 

Usuários Ativos Diários e Mensais (DAU / MAU)

 

Usuários Ativos Diários (UAD) e Mensais (UAM) são duas métricas excelentes para medir engajamento e popularidade analisando quantos usuários abriram e usaram um app em determinado período. 

 

UAD é melhor para apps que dependem de interações diárias, como aplicativos de notícias, corridas e mídias sociais. Aplicativos que são usados com menos frequência ou em situações específicas são melhor analisados através da UAM. 

 

Combinando estas duas medidas, se consegue a porcentagem de usuários mensais com potencial para serem usuários diários. Métricas como DAU e MAU só aumentam se o aplicativo for constantemente atualizado e cuidadoso no processo de integração do usuário, estando sempre a sua disposição.

 

Taxa de Retenção e Taxa de Rotatividade

 

A taxa de retenção calcula a porcentagem de pessoas que usam um aplicativo regularmente em determinado período. O cálculo é feito dividindo o número de usuários ativos pelo número de instalações em determinado período. Acompanhar a taxa de retenção é a melhor forma de calcular o potencial de engajamento de um aplicativo comparado aos seus concorrentes. Melhorar o engajamento, a experiência de usuário através de personalização de mensagens e aperfeiçoamento da interface são maneiras de obter boas taxas de retenção de usuário. Olhar para o outro lado da moeda também funciona, nesse caso, a taxa de rotatividade. 

 

Quando os usuários desistem de um aplicativo, a rotatividade acontece. Calcular essa taxa é um ponto de partida para entender porque um app está ficando impopular.

 

Divida esse resultado, que é o número de desistentes deste período, pelo número de pessoas que você tinha no início do período e você tem sua taxa de rotatividade.

taxa de rotatividade

Avaliações e notas de aplicativos

 

Notas e avaliações dos aplicativos são fatores cruciais que afetam a maioria das decisões de consumidores online. Desde comprar em um e-commerce até subscrever em uma newsletter, estas ações são afetadas por um dos fatores mais importantes na jornada do consumidor: a opinião de outros usuários. Estas métricas são efetivas porque confirmam a veracidade da prova social, termo criado por Robert Cialdini em 1984, que se refere ao fenômeno psicológico e social em que as pessoas copiam as ações de outras na tentativa de assumir um comportamento em uma determinada situação.

 

Além disso, notas e avaliações de um app revelam o quão satisfeitos estão seus usuários. Buscar notas mais altas e avaliações melhores e mais consistentes faz parte de diversas estratégias de marketing envolvendo aplicativos. Avaliações são tão importantes que um desenvolvedor pode solicitá-las dentro do app. São as avaliações in-app.

 

Avaliações In-App

 

Neste método, se coleta insights da satisfação do usuário dentro do próprio app. A melhor forma de coletar esses dados valiosos é usando ferramentas como a Shake. Os benefícios de avaliações de apps são inúmeros, mas a precisão é o maior deles. Se o usuário estiver fazendo o uso de um recurso eficiente aplicativo, este é o melhor momento de questioná-lo sobre seu nível de satisfação naquele momento. Além disso, uma avaliação in-app é mais prática do que sair do aplicativo, entrar na app store e deixar sua consideração e nota.

 

Mapas de calor e Gravações do Usuário

 

Tanto os mapas de calor quanto os históricos do usuário são ótimas maneiras de avaliações in-app, ou seja, durante o uso do aplicativo. Os mapas de calor gravam as interações do usuário em um aplicativo através do usuário de sobreposições de cores. Áreas vermelhas indicam partes da interface onde usuários clicaram ou rolaram mais, enquanto áreas azuis mostram baixo engajamento. Gravações do usuário, por outro lado, são muito mais diretas. Eles são gravações da tela de um aplicativo enquanto o usuário interage, capturando cada ação feita. Ambas ferramentas são essenciais para dar aos desenvolvedores insights precisos sobre como os usuários utilizam o aplicativo, e assim, efetuar melhorias na interface e na usabilidade, tornando a experiência do usuário mais assertiva.

 

Quais as métricas que podem ajudar meu aplicativo a ser um sucesso?

 

Para que um aplicativo realmente solucione as dores e problemas de um público-alvo, é importante mantê-lo sob análise mesmo depois de seu planejamento, desenvolvimento e lançamento. Aplicativos de sucesso são monitorados constantemente, através dos cálculos que mostramos acima, e que apresentam melhorias conforme os seus usuários demonstram satisfação ou dificuldades durante o uso. O time de desenvolvimento da Attri participa da criação do aplicativo da sua marca em todas as etapas, incluindo os movimentos pós-lançamento. Do primeiro wireframe desenhado aos dados recolhidos a cada vez que seu aplicativo for essencial para o público-alvo, todo processo é uma afirmação da sua empresa no segmento, do vínculo que você cria com seus clientes através de uma experiência de usuário transformadora. Entre em contato com a Attri! Vamos pôr seu projeto em prática.

Fale com um especialista

Compartilhe

Quem escreveu este conteúdo:

Matias Lucena

Matias Lucena, bacharel em Publicidade e Propaganda pela Universidade de Caxias do Sul (UCS), redator publicitário, ilustrador de final de semana e apaixonado por música, futebol, quadrinhos e cinema. The Wire é o melhor storytelling da TV, mas meu coração vai estar sempre com a Família Soprano.

Inscreva-se em nosso blog

Acesse, em primeira mão, nossos principais posts diretamente em seu email