Índice

Para mais conteúdos como este, cadastre-se para receber nossa newsletter.

Quero receber

Compartilhe

A programação e o design sempre foram vistos como assuntos que se complementam. No entanto, é cada vez mais comum na área de produto, os profissionais de tecnologia desenvolverem também os conhecimentos de UX. Acompanhe com a gente sobre o crescimento desta nova habilidade. Boa leitura!

Entendendo os dois mundos

No mundo da experiência digital, tais termos como UX, UI e “user experience” já não são mais novidades para os profissionais de conteúdo, design e tecnologia. Já faz um tempo que o conceito de experiência deixou de ser apenas um simples layout bem diagramado. Hoje, existe todo um estudo de campo por trás, validando a jornada do consumidor, suas crenças, desejos e dores.

No entanto, ainda que exista esse aprofundamento dos produtos digitais, as experiências ruins ainda acontecem! Isso é só um dos vários motivos que explicam o porquê de soluções tão bem criadas e estruturadas não ganharem o mercado. Quer saber o motivo? Vamos contar tudo!

 

Mais um UX para o time!

 

Dentro do guarda-chuva da frente de user experience, uma frente em alta é o do DX:  Developer Experience; o que faz todo o sentido! Afinal, muitos designers de experiência acreditam que o desenvolvedor deve se “virar nos 30” com os layouts recebidos e simplesmente “codar” eles. Aqui vai a dica de ouro: times de tecnologia merecem soluções tão bem desenhadas quanto as pessoas não técnicas. E é por isso que o UX Developer faz toda a diferença na entrega de um bom trabalho.

 

Vale lembrar que programadores e designers jamais competem entre si. Muito pelo contrário, eles se complementam. O DX tem como responsabilidade, absorver as ideias e decisões do designer, complementando com o seu olhar de tecnologia. É como se esse profissional fosse um guardião que zela pela melhor interação possível entre o design e desenvolvimento.

Principais características de um Developer Experience

Desenvolvimento com UX agencia Attri

 

Para ficar mais claro, pontuamos quais são as principais skills de um profissional DX:

– Deve se atualizar e conhecer os últimos recursos do browser, entendendo as possibilidades de interação;

– Se envolver nas etapas de UX, desde a definição de produto e pesquisa, até protótipos;

– É preocupado com a visão sistêmica em termos de interface de todo o projeto, sem deixar de lado o suporte para o time de design.

 

Conclusão

O profissional de DX ganhará cada vez mais espaço dentro dos times de produtos digitais, já que a área de desenvolvimento é considerado como um dos principais dentro das empresas.

Já existem vários cases que comprovam o quanto a experiência de um produto é potencializada ao desenvolver a frente de Developer Experience nos times. Com certeza há uma drástica redução da fricção da adoção do produto perante o usuário, aumentando o engajamento.

Com um time completo que aborda todas as frentes da experiência do usuário, a Attri é focada em criar estratégias digitais e projetos de UX. Através de estudos, pesquisa e um design inteligente, oferecemos a melhor experiência ao usuário. Fazemos um trabalho aprofundado, entendendo as dores e identificando as oportunidades de inovação da marca através de um produto eficiente, encantador e com uma excelente experiência.

 

Ficou interessado em implementar um time de UX na sua empresa? Então vem bater um papo com a gente!

 

Fale com um especialista

Compartilhe

Quem escreveu este conteúdo:

Pedro Hermano

Pedro Hermano, bacharel em Publicidade e Propaganda pela (ESPM), especializado em Branding e Planejamento Estratégico de Marcas na McGill University, no Canadá e em Marketing Digital em Harvard. Pós-graduado em Gestão de Negócios pela Fundação Dom Cabral (FDC) e atualmente é sócio-fundador e diretor de criação da Attri. Em 2018, foi eleito Profissional Digital do Ano pela ABRADi-SP.

Inscreva-se em nosso blog

Acesse, em primeira mão, nossos principais posts diretamente em seu email