Índice

Para mais conteúdos como este, cadastre-se para receber nossa newsletter.

Compartilhe

A pandemia do COVID-19 possui paralelos com as pragas e doenças do passado. Não precisamos ir muito longe para prever que, assim como as pandemias de outros tempos, nosso presente tumultuoso irá nos conduzir para uma grande mudança social em 2022. 

converse com comercial attri

Os eventos dos últimos dois anos fizeram surgir novas necessidades e provocaram uma mudança radical na forma como as empresas fazem negócios. O período de recuperação pós-pandêmico é uma linha divisória, onde nós iremos decidir o futuro do marketing digital e do mercado em 2022.

Mais do que nunca, os profissionais procurados são aqueles que entendem o comportamento do usuário, lêem o contexto e decifram o mercado, traduzem visualmente os desejos do usuário e desenvolvem produtos digitais que refletem o vínculo de marcas com seus públicos. Talvez um dos poucos pontos positivos do Brasil pós-pandêmico – e aqui falamos com extremo respeito às vidas perdidas neste período – foi que o contexto nos obrigou a sermos mais digitais. Essa mudança em 2019 vinha acontecendo timidamente, ainda que houvesse toda uma cultura de transformação digital pronta para ser aplicada em empresas.

No olhar para 2022, os principais objetivos de cada empresa devem ser compreender as mudanças das necessidades dos consumidores e capturar novas oportunidades de crescimento. A seguir, veremos as profissões essenciais para o mercado digital brasileiro em 2022 e as principais tendências do setor.

Os números otimistas do e-commerce e as principais profissões no marketing digital em 2022

Receita no mercado do comércio eletrônico de 2017 a 2025

Receita no mercado do comércio eletrônico de 2017 a 2025 (em trilhões de dólares)

O e-commerce foi destaque neste contexto pandêmico, comprovando que o brasileiro está propenso a comprar online, assim como participa de atividades sociais e se informa nas redes. 

De acordo com relatório da Webshoppers, promovido pela Ebit | Nielsen, no primeiro semestre de 2021, o e-commerce brasileiro bateu recorde de vendas, alcançando 31% de crescimento e movimentação de R$ 53,4 bilhões. Segundo o mesmo relatório, 6,2 milhões de pessoas fizeram a sua primeira compra online no primeiro semestre de 2021.

No LinkedIn, vagas de desenvolvimento, UX, produção de conteúdo e estratégias de marketing digital nunca estiveram tão em voga. E não é exclusividade de e-commerces e negócios digitais: diversas empresas tradicionais estão aderindo aos processos de transformação digital, onde a tecnologia e a usabilidade são os novos pilares para todos os segmentos.

As 10 profissões essenciais para o mercado digital em 2022

Segundo José Paulo Pereira Silva, CEO do grupo Ideal Trends e autor do livro Lições para você construir negócios exponenciais, a próxima década pertence ao empreendedorismo digital. Em seu livro, ele apresenta as dez profissões essenciais para o marketing digital em 2022 em diante. Mas quem são esses profissionais? Acompanhe a lista a seguir.

Designer

Para obter acessos e conversões, o produto digital, seja plataforma ou site, precisa passar pelo olhar apurado de um designer. Navegabilidade e intuitividade são funcionalidades essenciais para um projeto que dialogue com todo tipo de pessoa. O trabalho de designers da Amazon comprova: seu público-alvo varia de millennials a boomers. Quanto mais simples o acesso e menos cliques conduzirem à compra, maior a chance de retorno do usuário.

Especialista em usabilidade

Pesquisa de maturidade digital nas empresas brasileiras

Pesquisa de maturidade digital nas empresas brasileiras

Estudos de métricas, análises de mapa de calor e comportamento dos usuários. O especialista em usabilidade é o cara que saber ler os dados para propor aperfeiçoamentos e melhorias em produtos digitais. É uma função relativamente nova no mercado digital brasileiro, mas fundamental. E não apenas no desenvolvimento de sites e aplicativos: a usabilidade pode ser aplicada em planos de mídia e desenvolvimento de conteúdo para redes sociais.

Gestor de tráfego

O profissional responsável por definir os caminhos para obter resultados na Internet. Dentro das suas habilidades, estão o desenvolvimento de estratégias de atração para páginas de captura de leads, como Facebook, Instagram, blogs e sites, assim como a análise do tráfego online para planejar ações de otimização dos investimentos de mídia.

UX Writer / Copywriter

Embora o autor José Paulo defina apenas a profissão copywriter, mais comum na comunicação tradicional e no marketing digital, a função de UX Writer vai ganhar a atenção dos recrutadores, pois este profissional precisa aplicar seu conhecimento de redação e conteúdo em projetos de UX, onde o texto é muito mais funcional e prático do que vendedor. Ainda assim, copywriters e UX writers trabalharão em conjunto, e provavelmente os redatores de origem irão migrar para o conteúdo de UX Design.

Coprodutor de lançamentos

Este é o profissional responsável por mostrar o produto digital ao grande público. Assim, ele deve acionar os squads envolvidos nas estratégias de divulgação para que tudo saia de acordo com o planejado. 

Especialista em SEO

O especialista em SEO é responsável por posicionar sites e aplicativos de empresas nos primeiros resultados de busca, em plataformas como o Google. Esse profissional otimiza os conteúdos de páginas ou sites para que sua densidade e qualidade estejam de acordo com os requisitos do Google, e também alcançando melhores performances.

Gestor de mídias sociais

Mais do que marcar presença em redes sociais, o gestor de mídias sociais tem como função promover a marca e gerar vendas pelos canais digitais. Para isso, é preciso entender a linguagem de cada rede social, pois elas são únicas, e adaptar o conteúdo dos clientes à plataforma.

Videomaker

Abra a página inicial do YouTube e observe o número de canais de entretenimento. Desde que os podcasts de mesa substituíram os videologs, o público do Youtube exige a mesma qualidade de imagem de um serviço de streaming. O videomaker profissionaliza os bate-papos com equipamentos adequados. Os filmes publicitários, que antes exigiam equipamentos cinematográficos, hoje podem ser resolvidos com criatividade e câmeras mais acessíveis, mas com excelente qualidade. 

Se esse conteúdo supre a necessidade de um podcast ou canal de entretenimento no YouTube, também pode funcionar para marcas, produzindo material além das plataformas de vídeo, mas nas próprias redes sociais. Uma agência de marketing digital ou de tecnologia precisa de um videomaker no seu time. 

Desenvolvedor

O rockstar do momento. O desenvolvedor vai continuar sendo disputado por agências, produtoras e até mesmo por grandes empresas em 2022. Mérito total de grandes profissionais que representam a função, que por anos vieram se aprimorando para apresentar aplicativos, sites e plataformas extremamente úteis para negócios e, principalmente, para o público final. 

Um desenvolvedor que saiba colaborar com UX designers, pesquisadores e produtores de conteúdo já sai na frente, afinal, o desenvolvimento de aplicativos e sites passa por diversas etapas, onde diversas pessoas colaboram. Cabe ao desenvolvedor compreender cada etapa.

Especialista em Analytics

Se for possível metrificar, esse profissional saberá como. Ações de marketing digital necessitam de parâmetros e métricas específicas, e a presença de um profissional que reúna essas informações para garantir que os resultados estão sendo alcançados é muito importante. As análises de produtos digitais revelam insights valiosos para os seus aprimoramentos.

As tendências de comportamento digital que o mercado deve prestar atenção em 2022

Um novo comportamento nas redes sociais

A pandemia forçou pessoas e marcas a criarem novos comportamentos em plataformas sociais. Em 2021, nós vimos esse novo uso crescer, com pessoas passando mais tempo em redes sociais. A construção de comunidades online nunca foi tão essencial para as marcas.

A maré ascendente do comércio social

Número de Brasileiros que compraram através do smartphone

Número de Brasileiros que compraram através do smartphone

O distanciamento não fez apenas com que as pessoas passassem mais tempo em redes sociais, mas também comprassem mais online. O comércio social floresceu durante a pandemia, com marcas buscando maneiras criativas para competir por compradores. As redes sociais também introduziram formas criativas para que empresas vendessem seus produtos e serviços à sua comunidade de usuários.

 

Ativismo de marca honesto

O ano de 2021 provou que as marcas têm voz e elas importam mais que nunca. Consumidores cada vez mais querem comprar de negócios orientados por propósitos que se alinham aos seus valores e interesses pessoais. Ao mesmo tempo, eles não hesitam em repreender uma marca por ser inautêntica e performativa. O ativismo corporativo honesto chegou para ficar.

O mundo expandido da Realidade Aumentada

O mundo das realidades aumentada e virtual está definitivamente se expandindo, com mais marcas testando as possibilidades em 2021. Houve um boom de filtros de Instagram e testes virtuais no último ano, tornando esta uma tendência para 2022 e adiante.

Conteúdo efêmero: apontar, disparar e contar uma história

O micro conteúdo autêntico e cru se tornou mais popular do que os meticulosamente planejados posts do feed de notícias. Mas enquanto Stories e Reels continuaram captando a atenção da audiência em 2021, Twitter e LinkedIn removeram suas versões do Stories. Isso mostra que, afinal, algumas características podem ser passageiras.

Privacidade de dados: sob o microscópio

O gerenciamento de dados tem sido um tema prioritário para muitas redes sociais em 2021, especialmente as que olharam para novas formas de oferecer experiências personalizadas, enquanto protegiam a privacidade de dados dos seus consumidores. Com o Google eliminando os cookies de terceiros em breve, consumidores irão ganhar mais controle sobre seus dados pessoais, enquanto profissionais de marketing serão desafiados a customizar a jornada de consumo dos seus leads.

Plataformas de nicho: um horizonte mais amplo

Plataformas de nicho como Twitch e TikTok cresceram em 2021 e saíram do nicho para alcançar o mainstream. Muitas marcas encontraram em algumas redes sociais um excelente recurso para captar novos leads e aumentar suas comunidades. Em 2021, estas redes mais nichadas ofereceram acesso simples a grandes audiências, menos concorrência e formatos de mídia a preços mais acessíveis.

As novas portas abertas pelos formatos de vídeo

Vídeos continuam sendo o formato de conteúdo preferido em todas as redes sociais, e em 2021 eles vieram em diferentes formatos e tamanhos. O Reels se tornou um recurso popular, YouTube Shorts e Snapchat Spotlight ganharam alcance, o LinkedIn investiu em vídeos de duração mais longa e o Instagram se tornou uma plataforma focada em vídeos, no lugar de fotografias.

Publicidade, privacidade e personalização

A busca pelo equilíbrio entre privacidade e personalização foi um dos principais temas do mercado digital em 2021.  A grande discussão do mundo da publicidade digital foram clientes buscando experiências customizadas versus clientes receosos com o compartilhamento de seus dados. Em 2022, o debate segue em pauta, mais aprofundado e, esperamos, com soluções para todos.

Mídias sociais como relações públicas 2.0

Em 2021, os empreendedores foram para as redes sociais em peso para ouvir e tentar compreender as reações de seu público. A verdade é que os profissionais de marketing, tecnologia e publicidade não estão mais sozinhos no protagonismo da criação de suas marcas  – consumidores e influenciadores estão adicionando suas próprias histórias à narrativa das marcas, e contribuindo significativamente com as mudanças na usabilidade de diversas redes sociais.

Os desafios de 2022 no Brasil pós-pandêmico: conte com a Attri para a transformação digital da sua empresa

Apesar do incontestável efeito da pandemia em nossas rotinas, os últimos anos apontaram para um cenário que vinha sendo desenhado ainda na década passada. Pessoas mais conectadas, marcas mais presentes em frentes digitais, a tecnologia como ferramenta essencial nos processos de empresas e indústrias que compreendem os novos contextos envolvendo diversos mercados. 

A pandemia pode ter acelerado uma relação mais corriqueira da tecnologia na vida das pessoas, mas seria injusto com estudiosos e profissionais que vêm testando, experimentando e aprimorando produtos e serviços digitais há anos. A transformação digital não é uma exclusividade de grandes empresas ou de empresas que trabalham com tecnologia. É a adesão sincera, e extremamente necessária, da tecnologia ao redor dos processos que permeiam um empreendimento de qualquer porte.  E, como não podia ser diferente, o mercado digital se apresenta otimista no Brasil pós-pandêmico.

Se você busca um 2022 com mais pontos de contato digitais entre sua empresa e seus clientes, fale com o time de especialistas da Attri. Nós temos as estratégias para moldar o potencial da sua empresa e adentrar os próximos anos com a certeza de que tecnologia e usabilidade são seus diferenciais e aliados.

Converse com nossos especialistas.

Compartilhe

Quem escreveu este conteúdo:

Matias Lucena

Matias Lucena, bacharel em Publicidade e Propaganda pela Universidade de Caxias do Sul (UCS), redator publicitário, ilustrador de final de semana e pós-graduando em User Experience Design and Beyond pela PUC -RS. The Wire é o melhor storytelling da TV, mas meu coração vai estar sempre com a Família Soprano.

Inscreva-se em nosso blog

Acesse, em primeira mão, nossos principais posts diretamente em seu email