Índice

Para mais conteúdos como este, cadastre-se para receber nossa newsletter.

Quero receber

Compartilhe

A experiência de usuário B2E (Business-to-employee ou negócio-para-empregado) é uma subcategoria de UX que prioriza a criação ou melhoria de ferramentas e serviços utilizados por funcionários de uma empresa. É também uma variação das experiências de usuário B2B (business-to-business ou negócio-para-negócio) e B2C (business-to-consumer ou negócio-para-consumidor), mas também tem suas estratégias e desafios próprios. B2E UX tem sido frequentemente esquecido enquanto funcionários são requisitados para fazer uso de softwares B2B B2E ultrapassados.

ux para software interno

Assim como qualquer pessoa, a expectativa de um funcionário para softwares B2B B2E está relacionada com as suas experiências de usuário em plataformas cotidianas. O funcionários que faz uso de software B2B B2E compra no Mercado Livre, procura no Google, assiste Netflix, socializa no Instagram e no Facebook. Ironicamente, durante o seu expediente, o funcionário muitas vezes é obrigado a usar um software B2E que não mudou desde a década de 1990, com pouquíssima usabilidade e funcionalidades básicas. Muitas vezes, durante o desenvolvimento de software empresarial, o UX de softwares B2B B2 utilizados em empresas é tão fraco que os empregados acabam buscando a solução em ferramentas como Dropbox, Google Drive ou mesmo a boa e velha combinação do papel e da caneta.

Desenvolvimento de software empresarial: entendendo os conceitos B2B B2E em UX

Para entendermos melhor a correlação entre B2B e B2E UX, vamos revisar algumas definições importantes para falarmos de UX para software e desenvolvimento de softwares empresarial:

B2B UX (também conhecido como UX empresarial ou UX empreendedor) se refere às ferramentas desenvolvidas pelas empresas para que elas encontrem as suas necessidades, ao invés das que são referentes ao usuário individual. 

B2E UX se refere às ferramentas desenvolvidas por empresas para funcionários encontrarem as necessidades de um usuário durante o expediente de trabalho. Isso inclui o sistema utilizado para gerenciar projetos, monitorar evolução e crescimento de funcionários, entregar relatórios, conectar colegas e conduzir reuniões com clientes.

 

Ao invés de ver o “negócio” e “consumidor” como entidades separadas (como é comum em modelos B2B e business-to-consumer), UX para softwares B2E combina negócio + consumidor para priorizar o desenvolvimento de produtos para consumidores que constroem e fazem parte do negócio.

 

Mas independente de quem seja o usuário final – negócio, consumidor ou empregado – os pilares de um bom UX permanecem os mesmos.

Quando pensamos em UX, nos vem à mente as experiências bem resolvidas no B2C. No sistema business-to-employees, empresa e funcionários estão presos a softwares e aplicativos que falham em quase todos níveis e ao contrário dos consumidores, funcionários nem sempre tem uma escolha. 

A maioria das empresas, independente do tamanho ou do segmento, dependem de softwares B2B essenciais para o funcionamento da organização: CRM (Gerenciamento de Relação com o Cliente), ERP (Planejamento de Recursos Empresariais), ATS (Sistema de Rastreamento de Candidatos) e EHS (Meio Ambiente, Saúde e Segurança), entre outros. 

ux b2b b2e

Quando o software B2B é desenvolvido centrado no usuário, a consequência da sua adoção na rotina de uma empresa pode ser excelente em relação à produtividade, comprometimento e inclusive satisfação dos funcionários.

Mas não é o caso. O foco atual em UX de softwares é o resultado das experiências digitais dos funcionários fora do trabalho. Enquanto colaboradores de uma empresa utilizarem apps e e-commerces além do expediente, o nível de exigência para as ferramentas que serão disponibilizadas a eles fica mais alto. Mais do que nunca, os empregados esperam que a UX em softwares e apps de trabalho seja equivalente às outras experiências digitais que eles têm fora do escritório. Como resultado, os softwares B2B e B2E parecem mais com as ferramentas que os funcionários usam em outros contextos além do trabalho.

UX de softwares B2B e B2E: quando experiências de usuário no trabalho são tão satisfatórias quanto a experiência digital de caráter pessoal

Existem algumas razões compreensíveis por que o UX para software B2B e B2E ainda é tão fraco. Em muitos casos o software é antigo, desenvolvido nos anos 1990 ou no começo dos anos 2000, quando design para aplicativos de web está engatinhando e a tecnologia dos navegadores não permitia experiências mais complexas. Boa parte dos softwares B2B B2E foi desenvolvida por profissionais que desconhecem UX e UI design. A preocupação inicial destes profissionais era garantir que o software B2E ou B2B permitisse uma série de funcionalidades e recursos, mas sem a usabilidade e as boas práticas de UX para softwares B2B e B2E.

Slack, Zoom e Google Workspace (antigo G Suite) são excelentes softwares de B2E, cuja experiência de usuário promovida se equipara a apps e ferramentas digitais de uso pessoal, como Instagram, WhatsApp e Facetime. Esses softwares B2E são conhecidos pelas excelentes interfaces e navegabilidades simples.

Slack

O crescente número de usuários do Slack durante a aceleração da pandemia é também um reflexo de um momento onde depender de tecnologia era obrigatório para empresas transicionando do presencial para o trabalho remoto e continuar mantendo um senso de comunidade enquanto o trabalho é gerenciado.

Filtrando ruídos e organizando conversas através de diversos canais, o Slack se tornou uma ferramenta comum em empresas. Com uma interface agradável e intuitiva, o Slack desperta a mesma sensação de conforto que os usuários têm fora do expediente com seus outros apps e ferramentas de comunicação e entretenimento, sem em nenhum momento deixar de focar no trabalho e na produtividade. Mas no Slack, também há espaço para trocar conhecimento, socializar e entreter, e manter os resultados positivos.

Zoom

Umas das ferramentas que mais ascendeu com o novo normal estabelecido pelo contexto pandêmico, o Zoom é mais que um app que deu certo pelo contexto. De fato, o aplicativo ganhou a atenção das empresas e fez parte da experiência de usuário em softwares B2E e B2B de funcionários de mais de 265.400 empresas e negócios assinantes do Zoom. Vamos aos motivos:

Alta qualidade: o Zoom oferece uma experiência suave de conferência online incluindo o recurso de manter e reuniões com mais de 300 participantes.

Custo-benefício: o Zoom disponibiliza planos acessíveis tanto para grandes empresas quanto para jovens startups.

Conveniência e acessibilidade: o Zoom é compatível com Mac, Windows, Linux, iOS, e Android, ou seja qualquer um com um device digital é capaz de acessar. Para marcar uma reunião é só um clique, e você participa de uma reunião em apenas dois passos.

Baseado em nuvem: O Zoom provê um serviço de nuvem estável e seguro para auxiliar funcionários de empresas a armazenar, gerenciar e compartilhar gravações em nuvem, transcrições e arquivos de conversas.

Colaboração: O Zoom entrega uma variedade de recursos que permitem aos usuários interagir e colaborar uns com os outros dentro da aplicação.

Para funcionários de uma empresa, o maior propósito de usar o Zoom é estabelecer reuniões online sobre os negócios e processos da companhia. A maioria tem acesso a contas licenciadas pelas instituições que representam. Normalmente, eles coordenam ou participam de reuniões pré-agendadas e esperam conversas agradáveis dentro de uma agenda ou de tópicos pré definidos. O UX e UI do Zoom fazem dele uma excelente ferramenta para aplicações internas nos modelos B2E e B2B.

Google Workspace

Em 2020, quatro anos após deixar de ser o Google App for Work, o G Suite se tornou o Google Workspace. O Workspace não é apenas uma mudança de marca do Google: a UX havia mudado, resultando em mais produtividade entre as mais de 6 milhões de empresas que confiam seus processos B2B e B2C nos aplicativos do Google, agora unidos por uma interface de usuário (UI) mais funcional, poupando tempo de navegação de funcionários para que eles foquem nas entregas. 

Além disso, a interface amigável do Workspace fez com que funcionários optassem pelo trabalho remoto, uma vez que a experiência de usuário em uma plataforma B2B e B2E como o Workspace se equipara às outras experiências digitais destas pessoas, conforme mencionamos mais acima no artigo. Entre os novos recursos do Google Workspace estão a visualização de arquivos vinculados aos recursos Documentos, Planilhas e Apresentações, e também o acesso a informações de contatos importantes e picture-in-picture em diversos aplicativos. Os planos custam US$18 por usuário.

UX para B2E e B2B: equipes mais produtivas, economia de tempo e dinheiro

Investir em UX para apps B2E e B2B é literalmente transformar toda a experiência de trabalho dos seus funcionários, aproximando as tarefas do expediente das outras ferramentas das quais eles são adeptos como usuários finais no cotidiano. Ao tornar a rotina dos seus colaboradores mais agradável através de pequenas, mas importantes mudanças, como a adesão a softwares B2B com interfaces mais agradáveis, a usabilidade destes softwares vai ajudar na produtividade e na qualidade de entrega do serviço e produto da sua empresa. 

Na Attri, contamos com um time de especialistas em UX e UI para desenvolver apps de acordo com as necessidades dos processos e da rotina dos colaboradores da sua empresa. Entre em contato com a gente para marcarmos uma reunião. Queremos conhecer mais sobre o seu negócio para aprimorar o dia a dia com tecnologia e funcionalidade.

Fale com um especialista

Compartilhe

Quem escreveu este conteúdo:

Matias Lucena

Matias Lucena, bacharel em Publicidade e Propaganda pela Universidade de Caxias do Sul (UCS), redator publicitário, ilustrador de final de semana e apaixonado por música, futebol, quadrinhos e cinema. The Wire é o melhor storytelling da TV, mas meu coração vai estar sempre com a Família Soprano.

Inscreva-se em nosso blog

Acesse, em primeira mão, nossos principais posts diretamente em seu email